“O VOO DO ARAGUARI”

Desde janeiro de 2017 o INCT vem atuando com comunidades tradicionais na região amazônica no Estado do Amapá, que além de celebrar ACT – Acordo de Cooperação Técnica com diversas cooperativas de pesca com o apoio do Ministério Público do Amapá, também celebramos ACT com ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES PRODUTORES/RIBEIRINHOS DAS COMUNIDADES DO ARAGUARI – ASMPRCA -AP e elaboramos o projeto “O VOO DO ARAGUARI” (em busca de parceiros para implementação) com foco no TBL – Triple Botton Line (tripé da sustentabilidade = ambiental, social/cultural e econômico) que fortalecerá a ASMPRCA na criação de novas cadeias produtivas de valor, com geração imediata de emprego e renda.

A ASMPRCA está localizada no município de Ferreira Gomes Estado do Amapá, as margens do Rio Araguari e abriga aproxidamente 500 famílias, cerca de 3.500 pessoas. A tradicional fonte de subsistência da comunidade era a pesca e foi fortemente prejudicada em função da instalação das Usinas Hidrelétricas no rio Araguari, pois quando as suas comportas são abertas, ocorre a mortandade de peixes devido à alta oxigenação e a mudança de temperatura das águas.

Para além do impacto social negativo que afetou o meio de subsistência da comunidade, desde a instalação da usina na região, a água ficou contaminada e as doenças relativas a água imprópria apareceram de imediato e sempre a comunidade sofre com o mal cheiro, água turva, consequentemente diarreias, barriga grande e dores estomacais são resultados por não terem água potável e nem tratamento de esgoto.

Outros impactos hídricos gigantescos destes empreendimento é em relação ao fenômeno natural conhecido mundialmente como “POROROCA”, que com a instalação da usina também cessou e hoje o fenômeno não existe mais, consequentemente o turismo que também era uma fonte de renda em função da POROROCA foi embora.

“O VOO DO ARAGUARI” tem como objetivo mitigar os impactos e criar novas cadeias produtivas para proporcionar novos meios de subsistência que envolve: Melipolicultura, Apicultura, Piscicultura, Carcinicultura, Culinária Regional, Artesanato, Birdwatching, Pesca Esportiva, Hotelaria baseadas na Natureza, Passeios Turísticos pela Floresta e Rios da Amazônia, dentre outras cadeias que irá proporcionar aos Ribeirinhos o resgate da dignidade e de fontes de renda e geração de empregos.

Todas as ODSs citadas acima estão implícitas no projeto “O VOO DO ARAGUARI”, o que estamos buscando neste momento são as parcerias para executar o projeto com máxima urgência e gostaríamos muito de contar com o apoio da Embaixada da Holanda que pode socorrer as famílias da ASMPRCA que estão sofrendo com tudo o que vem acontecendo e sem nenhum apoio real do poder público.

O projeto desenvolvido pelo INCT, também se torna relevante do ponto de vista da aderência as Políticas Públicas ora instituídas e sobretudo o modelo de governança aqui proposto tem o objetivo de acelerar a estruturação organizacional da ASMPRCA.

Portanto, o projeto “O VOO DO ARAGUARI”  com foco na ODS 17, tem a Missão de integrar as diversas instâncias públicas, órgãos como a SEMA-AP, CERH-AP, IBAMA, FUNAI, ICMBio, MP-AP, MPF, EMBRAPA, SEBRAE, FUNASA, dentre outras entidades e a Sociedade Civil por meio do Programa de Mobilização Social e Institucional do INCT, com a efetiva participação da ASMPRCA, para colaborar sobretudo, com a melhoria constante do IDH – Índice de Desenvolvimento Humano da região onde está inserida a Associação.